Pinscher Miniatura – Principais doenças

De origem alemã, esse cão é bastante popular no Brasil. Estamos falando do Pinscher Miniatura, um cão bem pequeno de pelagem curta e conhecido pela expressão “50% ódio, 50% tremedeira”. Porém, apesar de sua fama, ele também é  fiel e sempre estará disposto a proteger sua família.

Por mais que o Pinscher seja pequeno, ele precisa se exercitar diariamente devido sua energia. Por não ter uma grande camada de gordura e pelos bem curtos, no frio é necessário colocar roupinhas para ele não tremer ainda mais. Em geral, ele é um cão saudável, mas é necessário ficar atento a algumas doenças genéticas que podem surgir ao longo de sua vida. E é delas que iremos falar a seguir.

Pinscher Miniatura - Principais doenças dessa raça

Catarata

A catarata acontece porque a lente do olho, conhecida como “cristalino”, sofre com a morte das células responsáveis por fazer com que a luz seja convertida em imagem. A morte dessas células causa a perda da transparência do cristalino e cria uma “película opaca” dentro do olho, dificultando ou bloqueando a entrada de luz. Quando acontece o bloqueio da luz, o pet perde a capacidade total de enxergar. O tratamento para a doença é feito por procedimento cirúrgico chamado “facoemulsificação com implante de prótese”. Quanto antes a doença for diagnosticada, maior a chance de recuperação da visão perdida.

Diabetes Mellitus

Diabetes mellitus é uma doença endócrina crónica que ocorre nos cães e nos gatos. É caracterizada por um aumento de açúcar no sangue (hiperglicemia) e resulta de uma deficiência em produzir insulina suficiente para as necessidades do pet. Os sintomas mais frequentes em um Pinscher com diabetes são perda de peso, aumento da ingestão de água, aumento do apetite e aumento da frequência urinária. Por vezes surgem complicações como o aparecimento de cataratas, pancreatite, infecções, etc. Estes riscos estão diminuídos se a doença for bem controlada. A diabetes não tem cura, mas pode ser tratada com sucesso.

Luxação Patelar

Luxação de patela é a movimentação anormal da patela, osso que faz parte do joelho dos pets. Quando ela se move de forma errada, causa dor e instabilidade. Sua causa é congênita e associada a uma deformidade óssea de crescimento, por isso pode aparecer conforme os cães vão crescendo. Geralmente os animais apresentam uma claudicação (mancar) que vai e volta, não apoiando as patas por alguns minutos, principalmente quando dobram o joelho. Atualmente, a prática de fisioterapia em cachorros e gatos é muito comum, proporcionando uma reabilitação mais favorável aos pets que forem acometidos com a doença.

Atrofia Progressiva da Retina

A atrofia progressiva da retina trata-se da degeneração dos fotorreceptores (neurônios que são responsáveis pela formação da imagem através da captação da luz), de maneira progressiva, comprometendo a visão do animal e levando à cegueira. A atrofia progressiva da retina não apresenta cura e, infelizmente, o quadro evolui até a cegueira total do animal. O início da sua manifestação é muito discreto e difícil de se perceber, uma vez que o animal vai perdendo aos poucos a visão noturna, e há alteração em seu comportamento em locais com pouca luminosidade.

Adenite Sebácea

A Adenite Sebácea é uma doença inflamatória destrutiva das glândulas sebáceas, que são microscópicas na pele e secretam uma matéria oleosa, denominada sebo, para lubrificar e impermeabilizar a pele e os pelos. O pet afetado pode apresentar descamação, perda e falha de pelos, ressecamento da pele e pelagem. Além da predisposição do Pinscher em ter a doença, raças como Samoiedas e Akitas também podem ser acometidos. A doença, apesar de não ter cura, pode ser controlada com medicação específica.

Outras doenças que podem afetar o seu Pinscher:

  • Entrópio
  • Displasia folicular
  • Hérnia inguinal
  • Síndrome do olho seco

As doenças citadas aqui são provenientes de estudos e artigos de predisposição de certas doenças em raças. Lembrando que seu pet pode viver uma vida saudável sem ser acometido por nenhuma patologia. Entretanto, a informação e conhecimento são importantes e a qualquer sinal de anomalia com seu peludo, procure um médico veterinário.

Sobre o autor

Beatriz Mario

Beatriz Mario

Graduanda em Medicina Veterinária, sonho que tenho desde de criança, hoje sou conhecida como a louca dos gatos, mas nas horas vagas sou a louca dos bichos também, sem distinção. Tenho 10 lindos gatinhos resgatados e meu propósito é poder ajudar o máximo de pets possível (E seus pais e mães humanos escrevendo aqui no blog).

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.