São Bernardo – Principais Doenças

Chamando a atenção por onde passa com o seu tamanho gigante e às vezes com mais de 90Kg de pura imponência, o São Bernardo não é uma raça para qualquer um. Com expectativa de vida entre oito a 10 anos, esse cachorro exige alguns cuidados como passeios diários e escovação de seus pelos. Em relação à saúde, infelizmente o São Bernardo é predisposto a algumas condições de origem genética e/ ou hereditária.

Entre as principais doenças, podemos citar os problemas articulares como displasia coxofemoral, osteocondrose e ruptura do ligamento cruzado cranial, os problemas cardíacos como cardiomiopatia dilatada, as condições oftálmicas e os problemas de pele. Você pode conferir um pouco sobre cada doença que pode afetar o São Bernardo a seguir.

Problemas articulares

Devido ao seu tamanho gigante, o São Bernardo pode ter alguns problemas articulares ou musculoesqueléticos. A principal doença articular que pode afetar a raça é a displasia coxofemoral, uma condição que é passada de pais para filhos e que desencadeia um encaixe errado na articulação do quadril, causando manqueira e dor no pet. A displasia de cotovelo também pode acometer a raça, assim como a ruptura do ligamento cruzado cranial e o osteossarcoma, um tipo de câncer maligno que atinge os ossos grandes (das patas).

Manter uma alimentação saudável e balanceada para o São Bernardo é fundamental para evitar os problemas musculoesqueléticos. É instintivo pensarmos que por conta de seu tamanho ele precisa comer grandes quantidades de comida, mas isso é um equívoco e é necessário ofertar o alimento conforme o peso e os níveis de atividade física do pet, evitando assim a obesidade, o que agrava algumas doenças citadas acima.

Cardiomiopatia Dilatada

Que coração grande o São Bernardo deve ter, não é mesmo? Mas infelizmente, ele é predisposto a uma doença chamada cardiomiopatia dilatada, que além do fator genético, pode estar ligada a uma deficiência de taurina (uma proteína) nessa raça. Cães idosos e machos são mais propensos a desenvolver a condição, que é caracterizada por alterações no músculo cardíaco que causam insuficiência no bombeamento do sangue. Devido à redução de fluxo sanguíneo, o cachorro afetado pode apresentar fraqueza, episódios de desmaios e intolerância ao exercício. 

Doenças oftálmicas

Frequentemente vemos exemplares de São Bernardo com os olhos caídos e algumas vezes até mesmo avermelhados. O São Bernardo tem uma lista grande de problemas que podem afetar os seus olhos e uma das principais doenças é o entrópio e ectrópio, caracterizadas por uma alteração da pálpebra que pode virar para dentro (entrópio) ou emergir para fora (ectrópio), podendo causar uma irritação no globo ocular. Outras doenças como catarata, dermóide e hipoplasia do nervo óptico também podem afetá-lo ao longo da vida.

Problemas de pele

Uma das características mais notáveis no São Bernardo é sua pelagem densa e semi-longa, mas todo esse pelo não o protege de desenvolver alguns problemas dermatológicos. Uma das condições mais comuns são os calos de decúbito ou também chamada de hiperqueratose ou calos de apoio, que fazem com que algumas regiões do corpo fiquem mais espessas, sem pelos e com a pele mais grossa, geralmente nos cotovelos. Os cachorros dessa raça também podem ser afetados por intertrigo ou também conhecida como piodermite das dobras cutâneas, um tipo de infecção e inflamação da pele.

Torção gástrica

A torção gástrica é uma condição perigosa e emergencial que se não observada e tratada a tempo, coloca a vida do pet em risco. Ela é mais comum em cães de porte grande como o São Bernardo que possuem tendência ao acúmulo de gases, o que pode fazer com que  o estômago gire na cavidade abdominal e interrompa o fluxo sanguíneo. Pets que comem rápido ou bebem muita água e logo após praticam exercício físico também têm mais chances de sofrer com o problema. Ao observar sinais de tentativas de vomitar, inquietação e lambedura dos lábios, é muito importante que você leve o pet ao médico veterinário. 

Outras doenças que podem afetar o São Bernardo:

As doenças citadas aqui são provenientes de estudos e artigos de predisposição de certas doenças em raças. Lembrando que seu pet pode viver uma vida saudável sem ser acometido por nenhuma enfermidade. Entretanto, a informação e conhecimento são importantes e a qualquer sinal de anomalia com seu peludo, procure um médico veterinário.

Sobre o autor

Beatriz Mario

Beatriz Mario

Estudante de Medicina Veterinária, sonho que tenho desde criança, cresci com gatos e hoje sou uma felícia assumida. Tenho dois felinos resgatados: o Frodo e o Bilbo, que são considerados meus filhos de pelo. Meu propósito de vida é ajudar o máximo de pets possíveis e fazer com que eles fiquem mais felizes e saudáveis escrevendo para o blog da Petlove.

3 Comentários

    • Olá, Ana. Infelizmente, alguns exemplares podem desenvolver esses problemas sim, mas nem todos terão as doenças citadas. O objetivo do texto é informar que o São Bernardo é mais predisposta a essas doenças que são genéticas e/ou hereditárias. Realmente é muito importante ficar atento ao peso, principalmente dos cães grandes. Um abraço!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.