Três curiosidades sobre o Bouvier Flandres

Um cão inteligente, leal e trabalhador. Essas são as características principais Bouvier de Flandres, mais conhecido como “Boiadeiro de Flandres”. A raça foi criada na Bélgica e era usada principalmente para pastorear gados, mas tinha outras funções como guardar outros rebanhos e puxar carroças, além de ser um ótimo animal de estimação.

Por não ser uma raça tão famosa no Brasil, separamos três curiosidades sobre o Boiadeiro de Flandres para que todos os petlovers conheçam um pouco mais deste cão que possui uma história riquíssima.

 

1 – Guerra Mundial 

Durante a Primeira Guerra Mundial, o Bouvier de Flandres foi usado como mensageiro e como cão de busca para resgatar soldados feridos. Logo após o período, a raça foi reconhecida internacionalmente por sua coragem e força demonstradas ao lado das forças armadas.

2 – Quase foi extinto 

Depois dos tempos de guerra ocorrida no início do século XX, a raça quase entrou em extinção total na Bélgica, sua própria terra natal. Entretanto, graças aos esforços dos criadores, o Boiadeiro voltou ao cenário mundial no ano de 1920. A adaptabilidade da raça foi fundamental para a sua sobrevivência.

3 – Perda de espaço

Devido às modernizações ocorridas nas fazendas, seu principal local de trabalho, o Bouvier de Flandres acabou perdendo espaço e, principalmente, suas funções originais. Contudo, a raça passou a ser utilizada como cão guia para deficientes visuais, além de farejador e até mesmo cão de guarda. 

Sobre o autor

Gabriel Arruda

Gabriel Arruda

É estudante de Jornalismo, apaixonado por animais e esportes. Está sempre em busca de novos desafios, justamente pela curiosidade que o toma conta. Pai de um Beagle chamado Johnny, mais conhecido como "o Destruidor".

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.