Vantagens e Desvantagens de Dividir a Cama com Pets

Para algumas pessoas parece estranho dormir na mesma cama que um animalzinho de estimação, mas esse comportamento é mais comum do que se imagina. Como os animais estão cada vez mais próximos dos humanos, o costume de dividir a cama com eles tem se tornado cada vez mais frequente. Mas será que esse hábito é de alguma forma prejudicial?

Alguns direitos reservados por nate steiner

Para algumas pessoas parece estranho dormir na mesma cama que um animalzinho de estimação, mas esse comportamento é mais comum do que se imagina.

Quando se trata de dividir a cama com os animais de estimação a transmissão de doenças é o ponto de maior discussão. No entanto, não há problemas em dividir lençóis, travesseiros e colchão com o bichinho, desde que certos cuidados sejam tomados antes de permitir que o animal se deite na cama do seu dono. Existem várias doenças que podem passar do homem para o animal e vice-versa, como o caso da raiva, brucelose, listeriose, salmonelose, tuberculose e leishmaniose. Para transmissão dessas duas últimas, basta o animal entrar em contato com a saliva de um humano infectado, ou então ser picado por um mosquito-palha que tenha picado uma pessoa doente.

Por isso, o dono que deixa o pet dormir em sua cama deve se atentar também a manter a vacinação do bichinho em dia, dar banhos semanais e aplicar vermí­fugos no prazo correto para garantir a saúde de todos. Um hábito altamente recomendável é o de lavar e secar as patinhas do mascote depois de um passeio na rua, pois isso garante que nenhuma zoonose o acompanhe para dentro de casa. Para evitar doenças respiratórias nos donos e garantir a limpeza do ambiente, escovar o pet para retirar o excesso de pelos e trocar a roupa de cama diariamente é aconselhável, principalmente quando o cão o ou gato solta muito pelo. Sem dúvida, são rotinas a mais nas tarefas domésticas, mas é o preço que se paga para quem não abre mão de dormir ao lado do pet.

Essa proximidade maior entre donos e animais tem aumentado a cada dia, mas esse comportamento acaba refletindo em certa humanização do animal. Como resultado negativo dessa humanização, observa-se que certos animais sem adestramento adequado tendem a ficar mimados e agressivos sem motivos aparentes, apresentam dificuldade de contenção e manejo, mordem objetos em casa e até mesmo seus donos quando contrariados em algo.

Porém, desde que tomados os devidos cuidados, a convivência com os animais de estimação pode trazer mais vantagens do que desvantagens. Conviver com um animal reduz o risco de doenças cardíacas, além de diminuir o estresse, baixar a frequência cardíaca, a pressão arterial e o colesterol, além de beneficiar crianças que convivem com animaizinhos tornando seus sistemas imunológicos mais fortes e com menos riscos de sofrer de doenças respiratórias infecciosas.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário