Zoonoses de Répteis

Nos últimos anos, a utilização de répteis como pets cresceu consideravelmente, e, consequentemente, a transmissão de zoonoses por esses animais também aumentou. Os agentes que desencadeiam essas afecções podem ser micro-organismos diversos, como bactérias, fungos, vírus, helmintos e rickettsias.

Os répteis têm ganhado espaço cada vez maior como bichinhos de estimação, e podem apresentar agentes patogênicos zoonóticos, como endoparasitas do gênero Cryptosporidium sspSpirometra europeaeSpirometra mansonoides, entre outros. Algumas espécies de salmonelas parecem ser parte normal da microbiota intestinal dos répteis. No entanto, algumas são altamente invasivas e virulentas para o homem.

Para prevenir a infecção em humanos por salmonela proveniente de répteis, devem-se tomar as seguintes precauções: lavagem das mãos com água e sabão após o manuseio de répteis ou de equipamentos e utensílios que tiveram contato com eles; manter répteis longe de locais onde ficam crianças e também de cozinhas; não lavar os acessórios utilizados para esses bichinhos na pia da cozinha. É importante lembrar também que, para uma maior precaução, crianças com menos de cinco anos de idade e pessoas imunologicamente comprometidas não devem manter contato com répteis.

A criptosporidiose, causada por Cryptosporidium parvum, causa diarreia aguda em seres humanos imunocompetentes. A transmissão dessa doença ocorre através da ingestão de água contaminada, recreações aquáticas em áreas abertas ou fechadas, e água municipal (hidrantes contra incêndio). O parasita não é espécie-específico e pode ser facilmente transmitido de um mamífero para outro, ou de um animal para o homem. A criptosporidiose clínica, pode ser diagnosticada, pela identificação de oocistos em materiais derivados do trato digestivo (fezes, alimento regurgitado, ou secreções das mucosas).  Não há evidências documentadas, no entanto, de que a criptosporidiose de répteis seja uma zoonose.

Os artrópodes da classe pentastomida são endoparasitas invertebrados na sua forma adulta, que habitam os pulmões dos répteis e aves, e a nasofaringe de mamíferos. Esses parasitas raramente acometem o homem. No entanto, o número de notificações tem aumentado consideravelmente, devido ao maior contato com esses animais. As lesões causadas nas serpentes, pelo estágio adulto ou larval do pentastomídeo não são bem compreendidas, porém, sabe-se que os pentastomídeos adultos são geralmente encontrados nos pulmões dos répteis e, espécimes sexualmente maduros, são regularmente encontrados sob a derme, exatamente sob as escamas. Muitos casos de pentastomíase são associados com outras doenças como infecções, parasitismo e má nutrição, o que dificulta o diagnóstico.

Para garantir que essas zoonoses estarão longe dos humanos basta manter um acompanhamento médico veterinário regular para o bichinho e ficar atento a qualquer mudança observada. Alimentar o réptil adequadamente com ração e vitaminas, de boa qualidade, também vai garantir a boa saúde desses animais.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário