Coronavírus (COVID-19) não é transmitido por cachorros e gatos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou na quarta-feira (11/03) que está em curso uma pandemia (disseminação em nível mundial) do novo coronavírus – que vem atingindo humanos. Desde então, e com o aumento de casos da doença no Brasil, as buscas por informações sobre o assunto cresceu. Saiba mais sobre coronavírus em relação a cachorros e gatos! 

Banner Petlove - Coronavírus

Recentemente, a gente divulgou diversos posts sobre o COVID-19 relacionados a cachorros e gatos, mas como ainda há muita informação errada circulando e dúvidas na cabeça de pais e mães de pets, a gente preparou um resumo pra você ficar bem informado e compartilhar conteúdo de confiança com seus amigos e familiares.

Vídeo do Vet Smart

O Vet Smart (uma empresa subsidiária da Petlove) fez um streaming com o Médico Veterinário Virologista Paulo Brandão, Professor Doutor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP, que esclareceu as principais dúvidas sobre o novo tipo de coronavírus. Confira a entrevista e abaixo as respostas para as dúvidas mais comuns no momento:

Cães e gatos não transmitem o coronavírus para humanos

“Precisamos deixar claro que o coronavírus que está afetando humanos não é uma zoonose transmitida por cães, mas sim por morcegos”, afirma Brandão. E o mesmo vale para os gatos.

NOTA ATUALIZADA: Conforme recomendação da WSAVA – World Small Animal Veterinary Association (Global Veterinary Community), como trata-se de um vírus ainda pouco conhecido e que até o momento não afetou animais de estimação, o indicado é que as pessoas positivas para COVID-19 não tenham um contato muito próximo com seus pets. Isso porque, alguns vírus podem sofrer mutações e se adaptar a diferentes espécies com o passar do tempo.

Vale lembrar que os tipos de coronavírus que acometem cachorros e felinos não são transmissíveis aos humanos e também nada têm a ver com o COVID-19. Portanto, não há motivos para alarde.

Nos cães, o coronavírus pode aparecer de duas formas, uma com manifestação respiratória e outra entérica, mais comum e que causa um quadro de diarreia. Os gatos, por sua vez, podem ser portadores do coronavírus felino e, por conta disso, em alguns casos desenvolver a Peritonite Infecciosa Felina (PIF)

Mas um cachorro chinês foi testado positivamente para o COVID-19…

A notícia sobre um cão chinês que teve resultado positivo para o coronavírus humano repercutiu bastante e infelizmente causou muito desentendimento e fake news sobre o assunto. 

De acordo como Professor Brandão, o pet – que apresentou uma baixa titulação para o subtipo que acomete humanos – pode ter sido apenas um hospedeiro acidental, ou seja, que não seria capaz de transmitir o vírus para outros seres e nem de apresentar os sinais clínicos da enfermidade. “A tutora do cão tinha o vírus, então é muito provável que o que foi encontrado na saliva do animal se deve apenas ao fato dele ter um contato mais próximo com alguém infectado”.  

A confusão que se faz sobre o tema está relacionada ao fato de que diferentes tipos de coronavírus pode infectar animais como, por exemplo, aves, cavalos, ferrets, roedores, suínos e pets, porém esse vírus tende sempre a ser bastante específico para cada tipo de espécie. 

E como eu protejo meu pet do coronavírus de sua espécie?

Em cães, o coronavírus pode ser prevenido por meio da vacinação anual. A partir de uma pesquisa realizada pelo Fundador da Petlove, Marcio Waldman, em um projeto de Iniciação Científica orientado pela Dra. Mitika Hagiwara, Professora titular do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo, junto a outros médicos veterinários, no ano de 1989, foi identificado pela primeira vez no Brasil o CCoV (coronavírus canino de sintomatologia entérica) e, com isso, foi possível  que a vacina contra o coronavírus entérico fosse incluída nas opções múltiplas (V8, V10, V11 e V12) em nosso País.

A infecção por coronavírus em gatos é, conforme dissemos, causada pelo coronavírus felino (FCoV), que pode causar a Peritonite Infecciosa Felina, a PIF. A doença é encontrada em praticamente todo o mundo e, infelizmente, é bastante comum em abrigos e gatis.

Até o momento, não existem vacinas para prevenir o FCoV, mas manter os gatos dentro de casa, sem contato com animais desconhecidos, e adquirir pets em abrigos e criadouros negativos para PIF é fundamental para evitar o problema. Consulte seu médico veterinário de confiança caso seu pet apresente qualquer sinal de que algo não vai bem.

Leia também:
Entenda o Coronavírus em animais
Coronavírus em cães
Coronavírus em gatos
Coronavírus em cães NÃO é motivo de alarde
Testes para coronavírus em animais
Peritonite Infecciosa Felina (PIF)
Infecção por Coronavírus

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e que não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

20 Comentários

  • Tenho uma Doguinha q fica no terraço e faz necessidades no jornal, nunca usei a rua de banheiro de animal tanto q qd saímos a rua ela não faz absolutamente nada nem fezes nem urina na rua (bem diferente eu tb acho) desde q começou a quarentena nao sai com ela, como eu saio 1 vzs por semana pra trabalhar e média de 1 vzs por semana pra supermercado/padaria/ banco evito ficar colada nela não dou mais beijinhos pq as vzs tenho medo de estar infectada. Parabéns a matéria devemos nos precaver ao máximo nessa pandemia

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.