Doença do carrapato

Pais preocupados são pais conscientes. Se você tem um pet essa frase deve fazer parte de você.
A doença do carrapato é silenciosa no começo e é preciso ficar atento, pois seus efeitos podem ser devastadores se não identificados e tratados rapidamente. Mais importante do que conhecer a doença é realizar a prevenção contra carrapatos.

A maioria dos proprietários de cachorro tem medo da doença do carrapato. Na verdade, a doença é transmitida pelo carrapato e pode ser fatal em grande parte dos casos. Os carrapatos de cachorro, Rhipicephalus sanguineus, ao sugarem sangue do hospedeiro podem inocular dois principais agentes de doença que causam juntos ou separados o que todo mundo chama de “doença do carrapato”.

O que causa a doença do carrapato?

O carrapato canino, conhecido como Rhipicefalus sanguineus ou carrapato marrom, é o agente transmissor tanto da Erlichiose como da Babesiose canina. A primeira é causada pela Erlichia canis que é uma bactéria intracelular do gênero Ricketsiae.

Uma curiosidade sobre a doença é que durante a guerra do Vietnã, ela foi responsável pela morte de 300 cachorros militares. A Babesiose canina é causada por um hematozoario do gênero Babesia ssp. Algumas espécies são capazes de infectar o cachorro doméstico como Babesia canis e Babesia gibsoni.

Formas de contaminação da doença do carrapato

Quando o carrapato suga o sangue do cachorro, acaba injetando os agentes da doença do carrapato. Esses agentes (Erlichia e Babesia) se disseminam na circulação do cachorro e iniciam a causar a doença. No ser humano não existem evidências científicas de contaminação deste tipo de doença, mas pode acontecer algo similar como a febre maculosa, por exemplo, também transmitida por carrapatos.

Evolução da doença

Após a contaminação, ambos agentes se disseminam, a Erlichia canis tem uma preferência por glóbulos brancos e a Babesia tem uma afinidade com os glóbulos vermelhos. Essas células infectadas acabam morrendo ou sendo eliminadas do organismo do cachorro causando os principais sintomas associados à enfermidade.

Sintomas da doença do carrapato

Conhecida ainda como tristeza canina, a doença do carrapato pode causar uma ampla gama de sintomas em sua forma aguda. Na forma crônica, pode passar meses ou anos despercebido e por algum motivo se manifestar muito após a contaminação.

Os principais sintomas são: febre, apatia, prostração, perda de peso, perda de apetite, fezes com sangue, urina com sangue, aumento da coloração da urina, dificuldade de coagulação, sangramento nasal etc.

Diagnóstico

O diagnóstico da doença do carrapato é baseado nos achados de anamnese (história clínica), exame clínico durante a consulta e exames laboratoriais.

Um dos principais achados é a queda de glóbulos brancos e vermelhos no hemograma, assim como queda da contagem de plaquetas. Sorologia pode ser realizada caso o diagnóstico ainda não tenha sido concluído com a história e exame clínico do pet.

Como fazer o tratamento da doença do carrapato?

Tudo depende da gravidade e do estágio da doença. Em casos mais severos, internação com transfusão de sangue ou de plaquetas pode ser necessária. O tratamento médico a base de antibióticos é o mais utilizado para a doença do carrapato (seja Erlichiose ou babesiose).

As medidas de suporte tradicionais como boa alimentação, vitaminas e vermifugação podem ajudar no estado geral do cachorro e melhorar a resposta ao tratamento.

Prevenção

A prevenção se inicia no controle dos carrapatos, ou seja, devemos usar produtos para repelir ou matar os carrapatos no cachorro. É importante ficar atento à frequência de aplicação do medicamento escolhido para o controle, pois cada fórmula possui um tempo de atuação. 

No post Como controlar infestações de carrapatos em cachorros você vai encontrar mais dicas, além do vídeo abaixo 😉


Achou o post interessante? Então compartilha!

Sobre o autor

Dr. Marcio Waldman

Dr. Marcio Waldman

Medico veterinário, diretor e fundador do www.petlove.com.br. Formado em 1988 pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e pós graduado em latu sensu em odontologia veterinária, foi secretário geral da Anclivepa SP (associação nacional de clínicos veterinários de pequenos animais) e sócio fundador do Simpavet (sindicato patronal dos médicos veterinários). Atuou como clínico veterinário de pequenos animais de 1988 a 2005 em São Paulo, e em 2005 terminou a atividade na clinica para se dedicar exclusivamente ao Pet Love.

11 Comentários

    • Com o uso do Bravecto, é mais difícil que seu cão seja infectado, pois o produto age rapidamente e costuma não permitir que o parasita fique por muito tempo fixado no animal, não conseguindo, portanto, transmitir alguma doença. Um abraço!

  • Normalmente os veterinários dizem logo de cara que é doença do carrapato e tratam como tal, sem mesmo fazer o exame especifico para a doença, que no caso é de sangue também mas específico para a doença aqui na minha cidade está em torno de R$200,00

  • Tenho um cão de 30 kg que é cruzamento de cocker com basset. Há tempos está com uma dermatite atópica. Enquanto toma a medicação prescrita pela veterinária, ele melhora. Depois volta tudo. Ele se coça muito e até fere as patas por baixo. Ficam “pelotas” vermelhas, brilhantes e altas em suas patas. Seu peito fica vermelho e sem pelo. Será que posso dar o bravecto? Não sei mais o que fazer. Já fez teste alérgico e não deu nada.
    Grata,
    Paula

  • O medicamento Bravecto é ótimo para controle de pulgas e carrapatos, isso porque fica na corrente sanguínea por 3 meses, e é só dar a cada 3 meses pro seu bichinho e pronto! O investimento é maior mas super vale a pena. Eu recomendo!

  • Oi eu li seu post e gostaria de tirar uma duvida. A um mes cortei acidentalmente a linguinha do meu yorkshire q tem 5 meses de vida .ao consulta lo a veterinaria passou antiflamatorio para ele por 7 dias pra nao infeccionar. Apois 4 dias de tratamento meu pet comecou com vomitos e as fezes ficaram escuras. Vomitava toda vez que comia. Mais nunca perdeu a alegria que tem pra brincar. Com isso levei na veterinaria e ela ao examinar de cara disse que era a doenca do carrapato. Isso pq comentei que axei um nele aos 8 dias . Fora isso nao encontrei mais nada nele. Bem ela passou um tratamento com antibiotico mais nada de um exame laboratorial. Eu como sou nova na criacao de pet . Comecei seguir a risca o tratamento q ele passou pra 15 dias. So que ele continuou com os vomitos ai ela acrescentou prasil pro vomito. So que ai meu pet parou com os vomitos depois de 3 dias sem tomar mais o antiflamatorio que tava dando. O estranho é que ele nunca fez cocó com sangue nem urina com sangue . Continuo ativo brincalao como sempre. Comessou a comer bem e nao perdeu peso. Nao consigo encontrar nenhum sintoma desses d seu post no meu pet. O que vc poderia mim dizer desse caso. Enfim so passei 8 dias com o tratamento aprsar que outros q tem pet proximos a mim mim disseram q ele nao tava com a doenca. Que tinha uns ate q seus pet tiveram e os sintomas nao eram como o do meu pet. Por muita ensistencia dos amigos parei com o tratamento . E meu pet voltou a ser como sempre foi . Come bem 3 vezes ao dia. Faz cocó normal . Brinca mais q nunca e quando procurei a veterinaria pra fazer um exame laboratorial . Ela tlentrou de ferias. O que faco agora?

  • Olá este é um post muito interessante pois faz quase um mês que perdi meu companheirinho vítima desta doença silenciosa e realmente devastadora, trabalhava a noite e qdo cheguei pela manha ele estava num estado lamentável, corremos com ele ao veterinário, ficou internado e morreu hs depois, não sei se me culpo se errei em passar algo desapercebido mas foi muito triste… por isso este post pode e vai ajudar muita gente a se prevenir pq realmente ela é silenciosa, meu bichinho estava “bem” aparentemente e simplesmente veio a óbito… 🙁

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.