O que devo fazer se for mordido por um cachorro

Aqui nos posts, costumo sempre tratar os cachorros como nossos filhos e nosso amor pelos bichos nos permite esse sentimento, concordam? No entanto não podemos esquecer que os cachorros ainda possuem seus instintos oriundos dos lobos. Por isso atitudes como farejar, caçar, latir e morder fazem parte da característica desses animais, independente da personalidade do mesmo. Seu cachorrinho pode ser o animal mais dócil do mundo, mas se ele se sentir ameaçado não vai pensar duas vezes antes de dar uma mordida. Tendo isso em mente, é importante saber que a mordida de um cachorro pode ser muito perigosa! Por isso separei algumas dicas do que fazer caso você for mordido por um cachorro.

Tipo de mordida

O tamanho do cachorro, bem como sua força e a intensidade da mordida, vão classificar o tipo da ferida causada.

 lesão leve: essas são as menos preocupantes. Causam apenas arranhões e não sangram.

 Perfuração: superficial ou profunda, não importa. Nesse tipo de caso a ferida começa a sangrar e ela está sujeita a infeccionar devido às dezenas de bactérias presentes na saliva do animal.

 Dilaceração ou esmagamento: essas feridas são causadas, geralmente, por animais maiores que possuem muita força no maxilar. Além de apresentarem também o risco de infecções, podem resultar em lesões internas e até fraturas externas.

Perigos da mordida de um cachorro

Quando alguém era mordido por um cachorro, a maior preocupação que tomava conta de todo mundo era com relação à Raiva. Essa doença é causada por um vírus e possui uma taxa de mortalidade de quase 100%, ou seja, é muito preocupante mesmo!! Porém, graças às campanhas de vacinação e a conscientização dos tutores de animais, a Raiva esta praticamente erradicada e são raros os casos encontrados em animais por aí.

Mas isso não quer dizer que você não deve se preocupar. Se for mordido por um cachorro o risco de infecção é altíssimo e pode tornar-se grave se não for tratada corretamente. A boca de um cachorro possui mais de 50 tipos de bactérias, por tanto, ao ser mordido por um cachorro com certeza algumas dessas bactérias irão penetrar na ferida e em casos mais graves, cair na corrente sanguínea.

 

O que fazer quando for mordido por um cachorro

Assim que acontecer a mordida, você deve lavar a ferida com muuuuito sabão e água corrente por um período mínimo de 5 minutos. Depois, estanque o sangue com uma toalha limpa e observe o ferimento.

Se após algumas horas a ferida inchar, apresentar pus e a pessoa sentir dor ou tiver febre, são sinais de infecção e você deve procurar ajuda médica.

No hospital o médico vai fazer uma limpeza na ferida e receitar antibióticos, para combater a infecção. Mesmo se a ferida for profunda, é provável que não seja feita a sutura. Em feridas infeccionadas é preciso que ela fique aberta e vá cicatrizando sozinha.

Atenção redobrada

Mesmo que as chances de um cachorro ter o vírus da Raiva sejam poucas hoje em dia, devido à gravidade dessa doença é importante estarmos sempre em alerta.

Se você for mordido por um cachorro desconhecido, do qual você não saiba o histórico de vacinação do mesmo, é preciso tomar algumas medidas:

tente capturar o cachorro para que ele seja avaliado por um veterinário ou então fique observando o animal por pelo menos 10 dias. Esse é o tempo que demora para o vírus da Raiva se manifestar no animal até levá-lo a obtido. Nesse período de tempo, caso o animal esteja infectado, ele vai apresentar os sintomas caraterísticos da doença. Se isso acontecer, leve a vítima da mordida imediatamente ao médico.

 Se a mordida foi causada por um cachorro de qual você não conseguiu capturar ou não terá contato para observação, você deve ir ao hospital para o tratamento preventivo. Ou seja, o tratamento contra Raiva será realizado (através de 5 doses de vacinas) mesmo que você não tenha certeza se a pessoa foi infectada. Tratando-se de uma doença muito grave, é sempre melhor optarmos pela prevenção.

Evitando as mordidas

Na maioria dos casos de mordidas de cachorros, as vítimas são as crianças. Isso porque elas não têm noção do espaço do animal e não sabem identificar quando o pet está estressado e irritado.

Sendo assim, nunca deixe uma criança pequena perto de um cachorro sem supervisão. Além disso, saiba respeitar os bichinhos. Assim como nós, eles possuem a própria personalidade e têm o direito de gostar ou não de muito contato com humanos ou com outros animais.

Se você ficar sempre ligado aqui no Dicas, vai ficar craque em identificar os sinais que os bichinhos passam para gente, sabendo evitar acidentes e prevenir possíveis riscos para você e para os animais.

 

Sobre o autor

Bruna Cela

Bruna Cela

Publicitária e aspirante a empresária. Mãe coruja da Sunny, daquelas que posta mil fotos no Instagram (como essa aí de cima). Ama tudo o que é relacionado a arte e a escrita é sua melhor ferramenta de expressão. Conversa com todos os pets que encontra pelo caminho e jura que, na maioria das vezes, eles respondem.

Deixe um comentário