Pastor Branco Suíço – Principais doenças

Não é coincidência o Pastor Branco Suíço ser muito parecido com o Pastor Alemão. Essa raça é recente e foi criada a partir de cruzamentos com Pastores Alemães brancos e todo seu temperamento, características e saúde são similares ao seu parente mais próximo. Nesse post, falaremos sobre as principais doenças do Pastor Branco Suíço.

Com expectativa de vida de 12 a 14 anos, esse cachorro costuma ser saudável, mas pode ser acometido por algumas doenças de origem genética e/ ou hereditária como dermatites, displasia coxofemoral e torção gástrica.

Principais doenças do Pastor Branco Suiço

Principais doenças do Pastor Branco Suíço

Problemas de pele

Quando um Pastor Branco Suíço está com algum problema de pele como vermelhidão, descamação e coceira, a primeira coisa que seus pais humanos pensam é que ele tem dermatite atópica, uma condição causada por alérgenos que estão presentes no ambiente e são quase impossíveis de eliminar. Em alguns casos, essa raça pode desenvolver esse problema sim, mas também pode ser uma hipersensibilidade alimentar.

Esse pet possui uma predisposição genética à alergia alimentar, que tem manifestações clínicas na pele. Ela é causada por algum componente que está presente na dieta e que o cachorro é alérgico, podendo causar vômitos e diarreia, além de coceira e vermelhidão. A qualquer sinal que o seu pet não está bem, é preciso levá-lo ao médico veterinário.

Displasia Coxofemoral

A displasia coxofemoral é uma doença que gera muita preocupação nos amantes do Pastor Alemão, já que a raça possui incidência em desenvolver o problema. Com o Pastor branco suíço, isso não é diferente, já que ele possui a mesma predisposição que o seu antepassado em ser acometido pelo problema. Causada por uma má formação da articulação do quadril, a condição tem como consequência os ossos não deslizarem suavemente entre si, gerando um atrito, dor intensa e claudicação no pet.

Torção gástrica

A torção gástrica é uma consequência do acúmulo de gases no estômago que muitas raças de porte grande são predispostas, inclusive o Pastor branco suiço. Além da predisposição genética, os cachorros que se alimentam muito rápido e/ ou logo após praticam exercícios físicos são mais propensos a sofrerem com o problema, sendo que os principais sinais clínicos são demonstração de dor, desconforto, tentativa de vomitar e inquietação. Por se tratar de uma condição perigosa, é preciso prestar atendimento de emergência ao pet. 

Hemofilia

A hemofilia é uma doença de caráter hereditário que causa um problema na coagulação do sangue por falta de enzimas e proteínas que o deixam espesso. Assim, o sangue acaba ganhando um aspecto mais líquido. Essa doença pode ter consequências graves, como sangramentos constantes e hemorragia. A Hemofilia é observada quando o cachorro se corta ou tem um ferimento que não para de sangrar. Quando é um corte superficial, não há muitos riscos, o problema é quando o corte é mais profundo, podendo ser fatal. O Pastor branco suiço é predisposto à doença e é muito importante ficar atento caso o pet sofra algum acidente.

Ruptura do ligamento cruzado cranial

O ligamento cruzado cranial tem muitas funções importantes, mas principalmente limitar que o joelho vá para frente e que alguns ossos permaneçam em seu devido lugar. A ruptura deste ligamento pode acontecer por conta de algum acidente, por uma degeneração ao longo dos anos ou por consequência de doenças articulares inflamatórias. 

Algumas raças são mais predispostas à condição, principalmente cachorros de porte grande que possuem um crescimento rápido. O pet afetado pode não conseguir apoiar as patas de trás no chão, ter dificuldade para realizar movimentos básicos como levantar e sentar e ainda apresentar dor. 

As doenças citadas aqui são provenientes de estudos e artigos de predisposição de certas doenças em raças. Lembrando que seu Pastor branco suiço pode viver uma vida saudável sem ser acometido por nenhuma enfermidade. Entretanto, a informação e conhecimento são importantes e a qualquer sinal de que algo está errado com seu peludo, procure um médico veterinário.

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Beatriz Mario

Estudante de Medicina Veterinária, sonho que tenho desde criança, cresci com gatos e hoje sou uma felícia assumida. Tenho dois felinos resgatados: o Frodo e o Bilbo, que são considerados meus filhos de pelo. Meu propósito de vida é ajudar o máximo de pets possíveis e fazer com que eles fiquem mais felizes e saudáveis escrevendo para o blog da Petlove.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.