Doenças de cachorro

Doenças são caracterizadas pelo surgimento de sintomas e disfunções do organismo – o que faz com que qualquer ser vivo possa adoecer. Estar doente normalmente compromete nosso estado geral e quando falamos de animais de estimação isso não é diferente.

Assim como acontece com os seres humanos, os animais podem contrair ou desenvolver diversos tipos de doenças. Essas condições podem variar de indivíduo para indivíduo, mas o mais importante sempre é buscar o auxílio de um médico veterinário quando notar que algo não vai bem.

Falta de apetite ou apetite excessivo, mudanças de comportamento, febre (acima de 39,6 graus em cães), apatia, surgimento de secreções, coceira intensa, dor ao toque, desconforto, diarreia, vômito, prostração ou excitabilidade… são milhares os sinais que podem indicar doenças de cachorro, mas um tutor sempre atento costuma perceber logo qualquer tipo de alteração.

Abaixo, listamos algumas doenças de cachorro mais comuns:

Halitose/ mau hálito: ele pode ir muito além do simples “bafinho” e indicar problemas sérios em órgãos como o fígado, por exemplo.

Catarata: um dos maiores causadores da cegueira em cães pode ter fundo genético ou surgir com a idade avançada.

Gravidez psicológica: fêmeas não castradas podem começar a “adotar” brinquedos e objetos, mas isso é algo sério!

Convulsões e epilepsia: eles podem ocorrer por diversas causas e precisam ser controlados para não ter consequências maiores.

Leishmaniose canina: essa zoonose preocupa as autoridades brasileiras e ainda são poucas as alternativas para controlar a doença.

Cinomose: considerada uma das doenças virais mais graves entre os cachorros, ela é altamente transmissível e requer tratamento rápido.

Otite: essa “dor de ouvido” causa dor intensa, desconforto e até mudanças no comportamento.

Doença periodontal: muita gente não acha importante fazer a limpeza dos dentes de seus cães, mas o acúmulo de tártaro pode até causar doenças cardíacas.

Doença do carrapato: existem vários tipos de doenças transmitidas por carrapatos. Todas elas necessitam de um tratamento longo com antibióticos.

Problemas articulares: as dores e os distúrbios osteoarticulares não afetam somente cachorros de grande porte, sendo cada vez mais frequente também nos pequenos.

Dermatites: os problemas de pele são uma constante na clínica veterinária. Coceira, queda de pelo e feridas são as maiores queixas dos tutores de cães.

Sobrepeso: pode ocorrer pelo excesso de alimentos e falta de exercícios, mas também por distúrbios metabólicos.

Gripe: sim, os cachorros também podem ficar gripados e, assim como a gente, não costumam se sentir nada bem nesta condição.

Sobre o autor

Jade Petronilho

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem dois cachorros, dois gatos e 13 peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.