Petlove responde perguntas sobre coronavírus e quarentena em pets

Nas últimas semanas, pedimos para que nossos seguidores do Instagram nos enviassem as dúvidas que tinham em relação ao novo coronavírus e à quarentena com animais de estimação. Selecionamos as principais para esse post. Confira:

Pets podem pegar ou transmitir o coronavírus?

Os pets podem pegar ou transmitir o coronavírus, mas não esse que está atingindo humanos… Até onde se sabe, a Covid-19, assim como a maioria dos coronavírus, é espécie-específico, ou seja, não passa de uma espécie para a outra. Os cães podem ter basicamente dois tipos de coronavírus canino, onde um causa sinais respiratórios e o mais comum, o da coronavirose, causa uma diarreia. Os gatos podem ser afetados pelo coronavírus felino. Eles podem ser portadores assintomáticos ou, em alguns casos, desenvolverem a PIF, Peritonite Infecciosa Felina, que é uma doença bem grave. Mas fiquem tranquilos: por enquanto, não existe nenhuma evidência de que o novo coronavírus humano seja uma ameaça pros animais de estimação.

Neste período de quarentena ainda devemos passear com os cachorros?

O ideal é que se você estiver em isolamento total, evite sair à rua com seu pet, mas é claro que se ele não faz as necessidades fora de casa, você precisa levar ele pra passear. Na minha opinião, o indicado seria fazer um passeio mais rápido, não pra gasto de energia, mas sim apenas para ele se aliviar. Recentemente, inclusive, reportagens sobre os países que estão em um regime de isolamento mais rígido afirmam que sair com os cães nessas condições continua permitido.

Durante o passeio, o ideal é que você não tenha contato com outras pessoas e outros animais e, ao chegar em casa, higienize as patas e a pelagem do cão, pois não temos controle de onde ele pode ter pisado e o quanto isso pode ser “espalhado” pela nossa casa. 

E se meu cachorro não faz as necessidades dentro de casa?

O ideal é que você leve seu pet pra passear, nos horários que costumava antes, mas só pra ele fazer o xixi e o cocô e voltar pra casa. Aquele passeio mais longo, cheio de interação, é melhor evitar. Lembrando que o pet pode ter problemas principalmente no trato urinário se ficar segurando demais, o que também não é bom pra saúde dele. 

O que deve ser feito para gastar a energia dos cães que estão sem passear? 

Nesse caso, o ideal é fazer adaptações na rotina do pet, dedicando aquele horário em que ele iria passear para fazer outras atividades de gasto de energia. Você pode, por exemplo, brincar de bola com ele, fazer alguma técnica de enriquecimento ambiental, esconder petisco pela casa, usar brinquedos interativos… muita gente acha que o pet só cansa se tiver atividade física intensa, mas isso não é verdade… os exercícios mentais são excelentes e às vezes até melhores do que os físicos. Ensinar um truque novo é também uma ótima opção. Mas atenção: o ideal é que você não dedique o dia inteiro, durante toda a quarentena, pro seu cachorro, porque senão, a hora que vocês voltarem a trabalhar e estudar, ele vai sofrer com essa ausência e pode ter problemas de comportamento por conta disso…

Quais brincadeiras e tipos de enriquecimento ambiental podemos fazer durante a quarentena?

A gente pode aproveitar esse tempo pra fazer coisas diferentes com nossos pets, mas de novo: o ideal é que a gente siga uma rotina parecida com a que tínhamos antes, com horários definidos, período de trabalho etc. Isso porque os cães podem sofrer muito quando a gente retomar nossas atividades normais… 

Para cães, a gente pode rechear brinquedos com ração úmida e petiscos, pode fazer gelinho de frutas como maçã sem caroço, melancia sem caroço, banana batida etc. Podemos esconder petiscos pela casa fazendo com que eles “cacem”, podemos ensinar algum truque que ele ainda não sabe como sentar, deitar ou dar a pata… podemos usar os comedouros lentos, disponibilizar com mais frequência os brinquedos de nylon para que possam roer… dar bichos de pelúcias e aproveitar que agora vamos poder supervisionar todas as brincadeiras. 

Com qual frequência devemos higienizar os pets e quais produtos são bons pra isso?

Se seu pet está passeando normalmente, o ideal é que limpe pelo menos suas patas sempre que voltarem do passeio. Escovar mais seu pet nesse momento de quarentena também é uma opção legal pra gente melhorar nossa interação com eles e manter a pelagem bonita e saudável. 

O que fazer se meu filhote precisa ser vacinado agora? Posso esperar pra vacinar depois?

Não, o ideal é que ele tome a primeira dose de vacina agora, pois nessa idade, os cães deixam de ter a imunidade passada pela mãe e ficam mais suscetíveis às doenças. Para evitar aglomerações e ficar esperando numa clínica veterinária – até porque a maioria só está atendendo emergências e casos mais graves -, o mais indicado é procurar um médico veterinário que atenda em casa. Se você for de São Paulo, Capital, a Petlove oferece esse serviço! 

Como ensinar vários truques pro cachorro em casa?

Nós vamos fazer um especial com vídeos para ensinar vocês a fazerem truques com os cães, mas de novo: o ideal é que você tente manter uma rotina regrada com ele pra que ele não sofra com estresse e ansiedade depois que você voltar a trabalhar ou estudar. Mas enquanto isso, no nosso Instagram, estamos colocando alguns vídeos mais antigos que já fizemos com esse tema. 

Existe algum cuidado especial para os gatos nessa época de quarentena?

Existe, sim! Se você ainda deixa o seu gato ter vida livre, está na hora dele aderir à quarentena também e ficar isolado pra sempre! É muito importante que os gatos permaneçam dentro de casa, pois isso evita que sofram acidentes, maus tratos e contraiam doenças, inclusive a PIF, que é causada pelo coronavírus felino. Outra questão bem importante é que se seu gato sai de casa, ele tem contato com diversos microrganismos que ele acaba trazendo pra sua casa… vamos supor que seu vizinho está com coronavírus… quem garante que seu gato não vai trazer o vírus nos pelos ou nas patas? 

Um gato espirrando pode ser sinal de coronavírus?

Provavelmente essa pessoa está preocupada com o fato de o novo coronavírus atingir as vias respiratórias de humanos, mas é certo que esse espirro no gato não tem a ver com a Covid-19. Ele pode, sim, estar com alguma doença respiratória, incluindo as mais comuns em gatos como a rinotraqueíte, então, é muito importante procurar logo um médico veterinário para fazer o diagnóstico e o tratamento mais adequado. 

Como fazer enriquecimento ambiental em casa pros gatos?

Infelizmente, a maioria das pessoas ainda não entende a importância de promover um ambiente rico e atrativo pros gatinhos, por isso é tão importante falarmos sobre isso… você pode espalhar petiscos na sua casa! Escolha um petisco que eles gostem bastante, comece de uma forma mais fácil e depois vá dificultando o grau da brincadeira.

Brincar com penas e varinhas também é super legal, mas tem uma coisa bem importante: as pessoas têm o hábito de achar que os gatos não gostam de brincar, mas isso não é verdade… eles são super caçadores e precisam ser estimulados para isso dentro de casa. Não adianta a gente jogar a varinha no chão e esperar que sintam vontade de brincar com aquilo… aquilo pra eles já está morto, não tem nada de atrativo, então, temos que brincar de uma forma mais vigorosa e algo super importante é a gente, depois dessas brincadeiras, premiar os gatos com comida, porque é isso que aconteceria na natureza, eles caçariam e, em algum momento, conseguiriam comer a presa. Se nunca conseguem, eles não vão mais querer mesmo se esforçar à toa. 

Prateleiras, redes… existem muitos elementos que são legais pros gatos e as caixas de papelão que, por enquanto, precisam ser descartadas por conta do coronavírus, mas que muito em breve poderão ser dadas novamente pros nossos gatinhos. 

 

Leia também:
Podcast Petlove: ouça mais um episódio especial sobre coronavírus
Podcast Petlove: edição especial Coronavírus em animais
Podcast especial: coronavírus em pets

Sobre o autor

Jade Petronilho

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem dois cachorros, quatro gatos e 11 peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos. Hoje, é Coordenadora de Conteúdo Veterinário da Petlove.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.