Raças de cães mais difíceis de serem treinadas

A gente sempre faz questão de reforçar que quando a socialização de um pet começa bem cedo, os treinamentos são constantes e o reforço positivo é colocado em prática, qualquer cão, independentemente da raça, pode aprender comportamentos que você julgue ser os melhores.

Cachorro teimoso

Como cada animal tem sua própria personalidade, e a maneira como ele é socializado diz muito sobre como será seu temperamento e atitudes no futuro, fica difícil cravar que esse ou aquele é mais fácil de ser treinado. Mas, o que não dá pra negar é que algumas raças tendem a ser mais teimosas independentes do que outras e provavelmente vão te fazer arrancar alguns fios de cabelo antes começarem a seguir seus comandos.

A gente compartilha abaixo seis raças que não tiram nota 10 em obediência, mas que em compensação têm outras tantas qualidades que podem ter tudo a ver com você. Quem sabe não rola aquele “match” perfeito? Clique nos nomes das raças para conferir o guia completo de cada uma delas.

Buldogue Francês

Sendo uma raça braquicefálica (com focinho bem curto), seu sistema respiratório é fragilizado, então, treinamentos somente longe do calor e sem abusar na carga, pois o bichinho perde o fôlego com rapidez.

É uma raça que pode apresentar alguns problemas na hora de conviver com outros cães, principalmente se todos forem machos não castrados. O pequenino ainda possui uma tendência a ser invasivo e querer se impor (inclusive com você). 

Buldogue Inglês

Muita coisa do “primo” citado acima vale pra esse peludinho inglês, com a diferença que  apesar de ser bastante teimoso, gosta bastante de agradar seus tutores – oferecer carinhos e um pouco de petiscos vai acelerar o processo de aprendizagem – e costuma ser simpático com desconhecido.

Não espere aprendizados imediatos, aqui vale a regra do “devagar e sempre”. Deixe claro desde cedo que você está no comando do jogo ou sua missão fracassará grandemente.

Dachshund (Salsicha)

Esse é bem famoso e você já deve conhecer um pouco o temperamento dele, mesmo não tendo um em casa. Se eles são referência em energia, brincadeiras e apego à família, por outro lado também são desobedientes na mesma proporção.

A agitação e personalidade forte do Salsichinha dão um pouco mais de trabalho na hora de adestrar esse cãozinho. Uma dica é começar o treinamento precocemente, com exercícios regulares e brincadeiras frequentes, assim a energia dele ficará mais equilibrada fazendo com que ele fique mais obediente e centrado.

Husky Siberiano

O bonitão vai bem com outros pets e adora as crianças, mas também são “carne de pescoço” e adoram desobedecer seus pais humanos. O tutor de um Husky deve ser uma pessoa firme e paciente, mas sem broncas ou punições pois elas podem piorar ainda mais a falta de interesse do galã no que é proposto.

São animais orgulhosos e precisam de alguns limites ou realmente se sentirão os donos da casa. Estímulos diários devem fazer parte da rotina e exercícios físicos para gastar energia também, de forma a evitar que os cães fiquem entediados ou ansiosos, o que dificulta ainda mais o treinamento.

Lulu da Pomerânia/ Spitz Alemão

Não se deixe enganar pela graciosidade do bichinho, o peludinho não é chegado à disciplina. Mas fica até difícil conseguir dar uma bronca nesse cãozinho super dócil e companheiro. 

Ele não gosta de ser comandado e pode ser bastante teimoso, resistindo a qualquer ordem. Devido a isso, educá-lo é particularmente difícil e exige muito tempo e paciência. Apesar disso, ensinar truques e comandos é possível justamente por ser um cachorro curioso e, principalmente, brincalhão, disposto a jogos e brincadeiras.

Jack Russell Terrier

Pense num cão “rebelde”… Pois, bem. Aí está! rs

O Jack Russell Terrier é um cachorro muito companheiro e sociável, mas de temperamento forte. Ele é energético e não gosta de obedecer e exigem uma educação coerente e rígida, uma vez que pode ser um pet dominador. 

A socialização é algo fundamental para esses cachorros, que podem ser territorialistas e extremamente protetores. Um Jack Russell entediado pode ser um grande problema, pois possui tendência a se tornar destruidores quando ociosos. Para treiná-lo é preciso ter muita paciência e persistência, porque a curiosidade e a vontade de explorar vão frequentemente passar por cima de tudo.

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

É jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

1 Comentário

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.