Gato no avião: saiba como levar seu gato

Se você vai se mudar para outro estado ou país ou fazer uma viagem de longa duração e não quer deixar seu miau aos cuidados de um petsitter ou pessoa de confiança, tem que saber como fazer para transportar seu gato no avião para não passar sufoco.

Permissões e documentos

Primeiro de tudo é necessário saber – com muita antecedência – se é permitido levar animais no seu voo, porque nem todos os voos permitem a entrada dos felinos. Verifique também se haverão outros animais nesse voo.

“É necessário também ver exames pedidos para o local de destino. No Brasil, principalmente, é importante estar com atestado de saúde e vacina da raiva em dia”, explica o médico veterinário José Mourino.

Já existem modelos de atestado que você pode conseguir online. Ele precisa estar em papel timbrado da clínica veterinária.

Adaptação do gato no avião

Para que a situação seja mais tranquila possível, tente acostumar seu gato a ficar dentro da caixa de transporte. Coloque ele ali durante algum tempo todos os dias para que a ideia pareça cada vez menos assustadora.

“Dessa forma ele não dará trabalho. Pode ser que ele possa viajar na cabina, mas pode ser que tenha que ir no compartimento de animais”, avisa Mourino. “É um local seguro e climatizado como a cabine”.

Medicamentos

É normal se preocupar com seu gato e ter medo que ele fique agitado demais durante o voo. No entanto, não é recomendado o uso de medicação tranquilizante.

No caso de animais que já são muito agitados, pode se abrir uma exceção. Para isso, leve-o em consultas veterinárias antecipadamente para exames que averiguem a segurança de usar tranquilizantes.

Sobre o autor

Larissa Moreira

Larissa Moreira

Larissa tem quatro miaus: Câmara, Ação, Gravando e Clica Fora, está no quarto ano de jornalismo da Faculdade Cásper Líbero, é apaixonada pela língua alemã, livros de fantasia, chá de camomila e pelos seus quatro bebês (que já nem são mais bebês).

Deixe um comentário