Sete doenças que podem atingir pets e humanos

Confessa que você, em diferentes situações, já achou graça ao perceber o quanto você e seu pet têm afinidades. As semelhanças às vezes são tantas que até o fato de vocês pertencerem a espécies diferentes passa batido 😸.

A similitude fica evidente das mais diferentes maneiras: no temperamento mais calmo ou agitado, no tratamento carinhoso ou reservado ou até mesmo no jeito estabanado de ser. E, é claro, você fica muito orgulhoso toda vez que ouve alguém dizer “vocês são a cara de um e o focinho do outro”.

Cachorro-doente-Petlove

Mas você, por acaso, já parou pra pensar no outro lado da moeda e que os bichinhos têm tanto a ver com a gente que até algumas doenças comuns entre nós também podem acometê-los? Pois é, e infelizmente a lista é extensa, mas nós separamos sete enfermidades que existem em humanos e em pets.

Cada uma delas têm um link para você saber mais sobre a doença – diagnóstico, tratamento, prevenção e muito mais – e todas elas fazem parte da nossa página de Saúde Pet, um repositório muito legal para você pesquisar sempre que quiser e não correr o risco de cair em ciladas ou fake news

Vamos à nossa seleção, lembrando que as enfermidades citadas abaixo não são zoonoses, ou seja, não são transmitidas de pets para humanos (e vice-versa).

AIDS Felina (FIV)

Pois, é. O vírus que tanto nos assombrou durante os anos 1980 e 1990 também tem sua versão felina e causa grande preocupação entre os pais e mães de gatos.

A Feline Immunodeficiency Virus (Vírus da Imunodeficiência Felina), popularmente conhecida como FIV, é perigosíssima, não tem cura e é transmitida pelo contato entre gatos – principalmente pela saliva e unhas do pet infectado.

Silenciosa e discreta, ela pode demorar anos para se manifestar, por isso a visita periódica ao médico veterinário não pode ser deixada de lado. Fique atento aos casos de infecções, febre, pneumonia e perda de peso, pois eles podem denunciar a presença do vírus, que precisa ser tratado para aumentar a probabilidade de sobrevida do animal.

Artrite

Comum entre os humanos mais velhos (apesar de não ser um mal que acomete somente eles), a artrite também pode acometer nossos bichinhos.

Independentemente da idade, cães e gatos podem sofrer com a temível inflamação nas articulações. Uma das melhores maneiras de manter o seu pet sadio e longe dessa doença, é não abrir mão das consultas veterinárias periódicas e oferecer uma boa ração que contenha sulfato de condroitina e glicosamina. Animais com pouca disposição, sobrepeso ou que estão apresentando mudanças na posturas merecem atenção especial.

Bronquite

A doença recebe esse nome por conta do processo inflamatório que acontece nos brônquios dos animais, igualzinho com a gente. 

A origem do problema nos peludinhos têm raízes diversas e algumas que nós bem conhecemos, desde toxinas, infecções por micro-organismos respiratórios (bactérias, vírus e fungos) até processos alérgicos contra irritantes (fumaça, poeira, ácaros, pólen de plantas).

Tosses insistentes, dificuldade em respirar e secreções nasais são indicativos de que o seu companheiro precisa de ajuda especializada.

Conjuntivite

Se você é um recém pai ou mãe de pet poderá se dar conta que acordar num dia sem poder abrir um ou os dois olhos não é um “privilégio” só seu.

Felinos e caninos também podem ser incomodados pela inflamação da conjuntiva, nome da mucosa que recobre as pálpebras e os olhos. Causada por fatores como poluição do ar, presença ou permanência de corpos estranhos nos olhos, infecções bacterianas, entre outros, a conjuntivite não é contagiosa entre os animais e muito menos nos afeta, como antecipamos no início da matéria.

Dermatite

Finalizando as doenças do “ite”, essa é motivo de muitas visitas às clínicas veterinárias. A dermatite é uma doença na qual o sistema imunológico do animal responde de forma exagerada a determinados agentes, os chamados alérgenos, causadores da reação de hipersensibilidade.

Os casos podem variar entre leves e severos, com os mais variados tipos de vilões possíveis, da saliva da pulga até uma série de partículas praticamente impossíveis de serem eliminadas do ambiente, como pólen, fungos e ácaros. Uma doença possível de controlar, mas que não tem cura. 

Diabetes

Segundo publicação do Ministério da Saúde em parceria com o IBGE, nove milhões de brasileiros têm diabetes. E apesar da falta de números oficiais sobre a doença de mesmo nome que acomete os pets, é sabido que uma grande quantidade de cães e gatos sofrem desse mal.

Nos cachorros a famosa doença é mais comum entre os adultos, idosos e também em cadelas. Já entre os gatos, a diabetes é vista mais entre os machos castrados. A doença é caracterizada por dois tipos:

Tipo 1        

  • É dependente de insulina.
  • Quando o próprio corpo destrói os depósitos onde se produz a insulina.
  • Mais frequente em cães.

Tipo 2 

  • O pâncreas consegue liberar insulina, mas o organismo resiste a ela.
  • Impede que a insulina funcione corretamente.
  • Mais frequentes em gatos.

Prevenção? Incentive o animal a tomar água frequentemente, colocando bebedouros com água limpa e fresca nos ambientes em que ele mais fica e não ofereça alimentos humanos para ele. 

Lúpus

O nome talvez não seja tão comum assim, mas os problemas que o lúpus traz, sim.

Descamações na pele, lesões ulcerativas, despigmentação cutânea e dor na região das lesões são só alguns exemplos dos males que a doença causa nos bichinhos e também em humanos.

O Lúpus eritematoso pode acometer tanto cães como gatos, mas é rara em felinos. A doença pode ocorrer em qualquer idade, sendo mais comum na faixa de dois a cinco anos. As raças de cães mais acometidas são os Collies, Pastor Alemão, Border Collie, Pinscher, entre outras. 

O tratamento será indicado pelo médico veterinário de acordo com a gravidade porém ele deve deverá ser realizado ao longo de toda a vida do animal, já que é uma doença autoimune.

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.