Old English Sheepdog – Principais doenças

O Old English Sheepdog é um cão de origem inglesa e que primordialmente foi usado como cão de pastoreio, especialmente de ovelhas, como seu próprio nome diz. Muito inteligente, brincalhão e atencioso, ele se tornou um ótimo cão de companhia, sendo raro encontrá-lo exercendo seu ofício de pastoreio hoje em dia.

Com pelos extremamente compridos e grossos e seu porte grande, o Sheepdog é um cão bem exótico. No Brasil, é comum que esse peludo seja tosado, devido ao clima tropical. Em geral, a raça possui predisposição a desenvolver doenças ao longo de sua vida, e é delas que iremos falar a seguir.

Old English Sheepdog - Principais doenças

Criptorquidismo

O Criptorquidismo é uma condição na qual o cão ou gato apresenta apenas um ou nenhum testículo no saco escrotal. O macho criptorquida pode ter um testículo normal, que completou sua descida até o saco escrotal normalmente, e um segundo que não completou esse processo no tempo esperado.

A presença do testículo fora do saco escrotal é um problema porque em outras localizações, a temperatura do órgão é maior e isso aumenta a predisposição à hiperatividade hormonal e posteriores tumores.

A causa é desconhecida, mas existe um componente genético envolvido, onde os pais passam os genes da doença aos machos da ninhada – sendo totalmente desaconselhado cruzar animais que apresentam o problema. Além do Sheepdog, raças como Border Collie, Boxer, Chihuahua, Bulldog Frânces, Maltês, Schnauzer, Poodle e Spitz alemão têm predisposição em ter criptorquidismo.

O diagnóstico deve ser feito pela inspeção visual e palpação cuidadosa do escroto por um médico veterinário. Exames de imagem também são realizados para saber as condições do testículo. O tratamento normalmente é feito por cirurgia, juntamente com a castração do pet. O prognóstico é bom é o cão poderá ter uma vida normal após a recuperação.

Demodicose

Conhecida também como Sarna demodécica ou “sarna negra”, a Demodicose é uma doença parasitária causada pela proliferação excessiva de ácaros do tipo Demodex canis no interior dos folículos pilosos. Essa multiplicação excessiva deve-se a fatores genéticos e/ ou imunitários, uma vez que o parasita vive normalmente nos folículos da maioria dos cães saudáveis. A transmissão acontece durante as primeiras horas de vida por meio do contato direto com a mãe. 

Além do Sheepdog, raças como Pastor Alemão, Collie, Dálmata e Dobermann possuem tendência a serem contaminados com o parasita.

Os principais sinais apresentados pela doença são: perda de pelo, vermelhidão na pele, seguida por escurecimento, e seborreia. O diagnóstico é feito pela raspagem profunda da pele e a observação no microscópio para identificação do parasita.

Catarata

A catarata é uma doença bastante conhecida que pode atingir os olhos dos pets e dos humanos. Isso acontece porque a lente do olho, conhecida como “cristalino”, sofre com a morte das células responsáveis por fazer com que a luz seja convertida em imagem. A morte dessas células causa a perda da transparência do cristalino e cria uma “película opaca” dentro do olho, dificultando ou bloqueando a entrada de luz. Quando acontece o bloqueio da luz, o pet perde a capacidade total de enxergar. 

A enfermidade pode ocorrer por quatro motivos: de forma hereditária, por diabetes, por algum trauma ou por degeneração da retina. Algumas raças, além do Sheepdog, possuem predisposição para a doença como Poodle, Schnauzer, Yorkshire e Golden Retriever. A catarata pode acometer os cães em qualquer fase da vida, porém é mais comum em cães idosos.

O tratamento para a doença é feito por procedimento cirúrgico, chamado “facoemulsificação com implante de prótese”. Quanto antes a doença for diagnosticada, maior a chance de recuperação da visão perdida.

Urolitíase 

Popularmente conhecida como pedra nos rins, a Urolitíase ocorre quando a urina se torna supersaturada com sais dissolvidos, que podem se transformar em cristais. Quando não excretados, estes cristais se unem e viram uma espécie de “pedra”, chamadas de cálculos. Esses cálculos podem estar presentes tanto nos rins quanto na bexiga e, quando param na uretra ou ureter,  podem resultar em obstruções.

Não só o Sheepdog é propenso a ter essa doença, mas também raças como Dálmata, Lhasa apso, Yorkshire terrier, Bichon frise, Shih Tzu e Poodle.

Há uma série de fatores que contribuem para a formação dos urólitos, como o pH da urina, consumo reduzido de água e tipo de dieta do animal. O diagnóstico é feito com base no histórico e sinais clínicos apresentados pelo pet juntamente com exame físico e de urina (urinálise), exame do sedimento e cultura bacteriana, radiografia e ultrassonografia.

Outras doenças que podem afetar o seu Old English Sheepdog:

O Sheepdog, além de todas essas doenças, são conhecidos por possuírem sensibilidade a um medicamento chamado ivermectina, usado comumente em vermífugos ou para o tratamento de alguns tipos de sarnas. Caso aconteça deste composto ser ingerido e ele possuir a sensibilidade, seu pet pode correr risco de vida. Consulte imediatamente um médico veterinário. 

A raça, como visto acima, é propensa a desenvolver várias doenças durante sua vida. Quem está pensando em ter um Old English Sheepdog, terá que ficar atento e sempre levá-lo ao médico veterinário para consultas de rotina

Sobre o autor

Beatriz Mario

Beatriz Mario

Graduanda em Medicina Veterinária, sonho que tenho desde de criança, hoje sou conhecida como a louca dos gatos, mas nas horas vagas sou a louca dos bichos também, sem distinção. Tenho 10 lindos gatinhos resgatados e meu propósito é poder ajudar o máximo de pets possível (E seus pais e mães humanos escrevendo aqui no blog).

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.